quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Imagino quando ele for pai...

Temos um casal de canários, ela chama-se Emília,(foi o nome que os antigos donos lhe puseram ) , mas nós chama-mos-lhe de Mila ou Milita, e ele chama-se Laranjinha visto que todo ele é laranja e tem umas penas em branco, um bonitão como podem imaginar.

Na semana passada demos por ele apoiado numa pata só, já tinha acontecido isto com a Mila, e trata-mos-la com água morna e água oxigenada, e depois betadine, e ,a ela passou, porém ela é meiga e deixa apanhar,(tem 8anos)ele é novo, vai fazer um ano em Maio, e apesar de já nos conhecer, e responder, quando o tentamos apanhar ainda esvoaça um bocadinho e com medo de ele ficar pior não lhe temos feito nada. E o meu marido, sempre que eu chegava a casa primeiro que ele, perguntava-me como estava o Laranjinha, e que não gostava de ver os bichinhos magoados.Consoante a situação lá lhe ia dizendo como ele estava.
"Acalmei-o" e até lhe disse que se ele não melhorá-se até o dia "X" que se ia ao veterinário com ele.O que não foi preciso porque a pouco e pouco ele tem apoiado a patinha.

Já disse ao meu marido que se ele é assim  com uns passaritos, imagino quando for pai...

With Love.
Vanessa.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Family Day

Ontem fomos almoçar à casa da filha da minha madrinha de casamento(que é nossa prima), a minha madrinha teve com uma pneumonia e ainda não se tinha ido ver, a verdade é que estava um bocado com medo, visto que eu apanho tudo e mais alguma coisa, e o seu marido também esteve com bronquite, ou seja tudo bom para fazer visitas... Já não há perigo, mas mesmo assim nunca se sabe...

Foi um óptimo Domingo, até que passou rápido (demais).

With love.
Vanessa

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Foto tirada do Pinterest

Todos os caminhos vão dar a algum lugar.
With Love.
Vanessa.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Enquanto escrevia este texto descobri que existem certos momentos em que não posso colocar música mexida a tocar.
Todos os textos do blogue foram escritos ao som de uma música, textos mais sentidos ao som  de uma música mais calma, e textos mais suaves/neutros/diários ao som de músicas igualmente neutras e que me encantam, porém não dá para escrever textos ao ritmo de músicas do qual me apetece dançar, porque faço do meu compartimento uma autêntica discoteca, e o cérebro pensa que é para dançar-Não que eu seja pessoa dessas coisas, porque prefiro cinema e estar em casa do que discotecas, ou confusões-mas é que pronto, existe toda uma agitação de braços no ar, músicas mal cantadas, e existe a pessoa(eu) que nem sei o que escrever ;).

Vocês têm que estar em silêncio, com ritmo, ou tanto vos faz?!
Ps:Espero que o dia dos namorados tenha sido gostoso ;).

With Love.
Vanessa.

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018



É nesta altura que a minha costela Brasileira (desconhecida/ inexistente ) sobe no seu auge.
Adoro música Brasileira, todo o ano, mas nesta altura.... Oh nesta altura é colocar  música Brasileira a tocar  e o pé de texugo começa a sambar, sem querer saber se gostam ou não.
Gosto de samba, tive uma professora de Educação Física, que me ensinou a sambar, e pronto faço um espectáculo em casa, qual Ivetjinha no bloquinho qual quê!
O batuque faz o meu coração vibrar, todo o meu esqueleto entra em sinfonia e lá começo eu a mexer os pézitos.
As letras podem ser aquela "coisa que uma pessoa nem se interessa muito" mas, se tem samba nós damos um jeito.




Que o vosso Carnaval seja cheio de folia.
Samba no pé, copo na mão, batuque no coração!
Bom Carnaval.

With Love.
Vanessa.